domingo, 12 de abril de 2009

ORIGEM DA FAMILIA BANDEIRA


A origem do nome Bandeira: PORTUGUÊS

A família Bandeira vem de origem Portuguesa, pois são pessoas com alta SENSIBILIDADE,SIMPATIA,COOPERAÇÃO,DIPLOMACIA,RECEPTIVIDADE.
Mas evitam o cargos de liderança, e não buscam de ser centro das atenções. Gostam de agir sem holofotes, e nem por isso deixam de ser notados. Preocupam-se em como são visto pelos outros, fato que pode prejudicar o rendimento. Porém persuasão é uma forte característica e tem sempre uma palavra certa a dizer, suas diplomacias fazem com que consigam um bom entendimento entre os diversos grupos em que se relacionam. A capacidade e vontade em cooperar sempre é apreciada pelos colegas. São discreta, preferem ambientes tranqüilos para trabalhar. Sempre que colocam de lado a insegurança fazem com que as pessoas confiem mais em suas habilidades. Ajudam as pessoas sem esperar retorno, isso são os hábitos dos português, os mesmo tem a língua mais presa, e muitas vezes como dizem os antigos falam para dentro. Mas pro compreender a natureza humana sabem perdoar com facilidade, e desta forma não deixam a sua popularidade virar a sua cabeça. Possuem amplo horizonte, já que os portugueses não gostam de confinamento em lugares pequenos ou ficar preso a situações que não tragam expectativas de crescimento pessoal e profissional, são pessoas que agem de pés no chão, para no futuro não se arrependerem. Mas preferem se arrepender por ter tentado do que por não ter tentado.

ORIGEM DA FAMILIA ORNELLAS




"O sobrenome Ornellas é de origem Portugal, derivando de uma característica geográfica ou que foi criada pelo homem, segundo a qual, o primeiro D’Ornellas teria vivido ou possuído a terra (Local).Neste caso, o sobrenome D’Ornellas é uma variante de Dornellas, ambos sendo derivados do nome de uma antiga sede da Família Dornellas, de Portugal, foram alguns da família para as ilhas portuguesas: Ilha da Madeira e Ilha de Cabo Verde.
Daí vieram três irmãos para o Brasil,desembarcando no Rio de Janeiro, ficando um no centro do Brasil, um foi para o Norte e outro veio para o sul do Brasil, talvez no de l800, dando origem aos Dornelles que se instalaram no Rio Grande do Sul e se dedicaram a criação de gado, ocupando grandes áreas de campo (suas fazendas) se estendiam de Uruguaiana, Santa Maria, Livramento, Alegrete e Santiago. Um deles Jerônimo Ornellas, foi um dos fundadores de Porto Alegre. Existe uma rua em Porto Alegre que leva o seu nome. Portanto hoje em dia todas as pessoas que tiverem sobre nome Ornellas, D’ Ornella, Dornellas, Dorneles e Dornelles são todos da mesma origem e parentes, por ser uma família só que tem no Brasil e no Rio Grande do Sul.


Retirado do Zero Hora de Domingo, 12 de abril de 2009, página 22

MENSAGEM DE AUTO-AJUDA




"Ao pensar em como podemos fazer uma grande diferença, não devemos
ignorar as pequenas coisas que podemos fazer a cada dia, as quais, com o
passar do tempo, acabam virando algo bastante significativo, que nem
sempre podemos prever."

DIA DO OBSTETRA










obs.te.trí.cia sf (lat obstetricia)- Parte da Medicina que se ocupa da gravidez e dos partos.

A gestação é um tempo único. Um tempo de proteger e também de sentir-se protegida.
Tempo de se preparar para receber o melhor presente da vida.

A obstetrícia, enquanto conjunto de práticas tocológicas, teve sua origem no conhecimento acumulado pelas parteiras, sendo a participação destas predominantemente feminina. Desconhece-se registros na literatura feitos pelas parteiras em relação aos primórdios da sua prática. Um dos paradigmas que existiam na assistência ao parto era que a parturição se devia a um processo natural, fazendo com que, por muito tempo, a prática médico-cirúrgica permanecesse latente, bem como a participação masculina no parto.

O nascimento da obstetrícia sob tutela cirúrgica direcionou um saber mais voltado para a técnica deixando de lado as particularidades da gestação e do parto. O fórcipe obstétrico foi o evento influenciador na aceitação da obstetrícia como uma área técnica e científica, onde foi incorporado o conceito de que o parto era perigoso e a presença de um médico era imprescindível, inaugurando o estopim da disputa profissional entre médicos e parteiras.

No Brasil, o declínio da prática da parteira no final do século XIX ocorreu quando se instalou o paradigma médico de que a atenção ao parto é estritamente intervencionista, cirúrgico.

Ginecologia e Obstetrícia constitui 11,8% das sessenta e cinco especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina como especialidades médicas.

O Ramo da Obstetrícia

A obstetrícia é o ramo da medicina que estuda a reprodução na mulher. Investiga a gestação, o parto e o puerpério nos seus aspectos fisiológicos e patológicos. O obstetra é o médico especialista que cuida do desenvolvimento do feto, além de prestar assistência à mulher nos períodos da gravidez e pós-parto (puerpério). No entanto, existem outros profissionais habilitados no cuidado ao ciclo gravídico puerperal do parto normal: Enfermeiros Obstetras e Obstetriz. O termo "obstetrícia" vem da palavra latina "obstetrix", que é derivada do verbo "obstare" (ficar ao lado). Para alguns, seria relativo à "mulher assistindo à parturiente" ou "mulher que presta auxílio".